América do Sul sem passaporte | ida&volta
iG

Publicidade

Publicidade
26/06/2008 - 12:28

América do Sul sem passaporte

Compartilhe: Twitter

Assim como já acontece em viagens para Argentina, Uruguai e Paraguai, em que não é preciso apresentar passaporte, em breve turistas brasileiros poderão entrar em outros seis países da América do Sul apenas com a carteira de identidade. Um acordo de reciprocidade (ou seja, os turistas destes países também serão dispensados de mostrar passaporte no Brasil) será assinado segunda-feira na reunião de Cúpula do Mercosul, em Tucumán, na Argentina, mas ainda não tem data para entrar em vigor. Os países que vão adotar a medida são: Chile, Venezuela, Equador, Peru, Colômbia e Bolívia.

Agora, vai uma diquinha de quem já entrou na Argentina com carteira de identidade. Não vale a de motorista, tem que ser a identidade mesmo. E não pode estar toda velha, com o plástico caindo. Se esta for a situação da sua carteira, no aeroporto (de Porto Alegre, pelo menos) não haverá problema. Tem uma lojinha no último andar que plastifica na hora. Já tive que apelar para ela uma vez e deu tudo certo.

No jornal Zero Hora, hoje, tem uma reportagem sobre a mudança na identificação. Clica lá!

Autor: Tatiana Klix - Categoria(s): Burocracia de viagem Tags: , , ,

Ver todas as notas

7 comentários para “América do Sul sem passaporte”

  1. cicero pereira da silva disse:

    Além da Bolivia e Peru no Chile se pode entrar só com a identidade.

    Parabens pelo blog é ótimo!!!!

  2. Na verdade já hoje os brasileiros podem entrar no Peru e Bolívia só com identidade, conforme consulta que fizemos à PF. Em março desse ano fomos à Uyuni e entramos na Bolívia só com a identidade (mas faltou a tal carteira de vacinação internacional, a amarela. Ainda bem que o guia da excursão contornou essa situação pra gente ;o)

  3. Maíra disse:

    Quando fui pro Chile ano passado já nãe foi necessário o passaporte. Nem levei o meu. Cheguei depois na Ilha de Páscoa bem tranquila e como era um vôo doméstico nem passamos pela imigração. Já na saída da ilha o guarda me pediu o passaporte e prontamente entreguei a identitade. Ele não quis aceitar, mas ao explicar que eu era brasileira e não necessitava de passaporte para entrar no país por causa de um acordo, ele nem fez mais perguntas. Já pensou se eu fico “ilhada” lá?

  4. Robs disse:

    Tati, o RG deve ter sido emitido há menos de 10 anos.
    Abs!

  5. Jean disse:

    Tati, o RG plastificado é considerado inválido perante as instituições financeiras (bancos). A dica é fazer um novo documento.

    abraços
    Jean

  6. jack disse:

    E a unificaçao dos blocos continua firme. Proteja o nosso pais. Fora a nova ordem mundial. Logo estarao falando de uma moeda unificada aqui na america do sul. E o povo burro e “catolico” ainda acredita nisso…

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo