Governo prepara medidas para conter importações da China | Guilherme Barros

Publicidade

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011 Governo | 16:16

Governo prepara medidas para conter importações da China

Compartilhe: Twitter

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, já decidiu que serão adotadas medidas para conter as importações da China.

Ele determinou que sejam estudadas medidas para conter os efeitos da importação chinesa no mercado interno.

Mantega está convencido de que o País precisa regular as importações para evitar um desequilíbrio da balança comercial, principalmente de produtos manufaturados.

Ainda não há definição, contudo, de quais serão as novas regras.

A CNI encaminhou uma série de propostas, uma delas de cobrar taxas para trazer bens que tenham produção correspondente no Brasil.

Autor: Guilherme Barros Tags: ,

101 comentários | Comentar

  1. 101 luis 25/10/2011 9:53

    Eu aponto algumas ideias: Leis duras como as da china para punir os atos ilegais, impostos pequenos para o produtor nacional, uma contribuição obrigatória das classes mais ricas seja dinheiro ou transferencia de tecnologia para a industria nacional com conhecimentos tecnicos para os estudandes e finalmente fazer da escola o trabalho das crianças e adolescentes dando todas as condiçẽs para o aprendizado e estimulo à defesa da pátria no consumo.

    Responder
  2. 100 Marcos 12/08/2011 1:13

    Olà a todos eu concordo com Gustavo ,a industria brasileira esta parada nos anos 60 mão de obra cara e qualidade inferior eu tenho produtos que poderiam ser fabricados aqui no brasil ,mas eu pesquisei por um ano inteiro tentando finalizar um produto de 7 componentes eu sò perdi tempo e paciencia I LOVE CHINA !!!!!!

    SE EU CONSEGUIR UM DIA VOU IMPORTAR ATè MESMO OS POLITICOS CHINESES TENHO CERTEZA QUE VAO TER UM BAIXO CUSTO E DE OTIMA QUALIDADE ,ACHO QUE VAI SER A ULTIMA IMPORTAçãO QUE TEREMOS QUE FAZER

    QUEM ME AJUDA A IMPORTAR O PRIMEIRO ???

    PODEMOS COMEçAR COM A PRESIDENTA KKKKK

    Responder
  3. 99 giovani 01/05/2011 19:18

    absurdo que critica esta proposta pois quem está no mercado pode afirmar quao prejudicial é a entrada desenfreada de produtos com produção similar no brasil
    as industrias vao quebrar caso não tenhamos medidas imediatas sobre a entrada de produtos chineses no brasil, de uma forma geral, de todos os outros países
    o brasil tem potencial para fazer o que quiser e não pode prejudicar seu mercado em prol de acordos internaiconais que não beneficiam em nada nossa produção interna
    vamos acabar com a entrada de produtos chineses com custo reduzido no brasil e vamos fomentar a aquisição de produtos feitos no brasil, com mao de obra e materia prima brasileiras
    e fora china

    Responder
  4. 98 MARCELO 20/04/2011 8:25

    pra quem tem Tirirrica………vamos esperar o que …….

    o Mantega sem sal ………acha que taxa é o melhor caminho…aumenta a arrecadaçao é ferra o resto…… facil nao é mesmo….falta alguem com coragem , todos nos sabemos os problemas para resolver , mas nenhum deles tem coragem …….

    aumenta o consumo sobe os juros…..
    é sempre a mesma novela ……
    corrupçao já é comum ……
    e assim vamos …que vamos

    Responder
  5. 97 GUSTAVO 15/02/2011 13:53

    TEM E QUE COMECAR A PENSAR EM MANEIRAS PARA A INDUSTRIA BRASILEIRA FICAR COMPETITIVA E NAO QUERER FECHAR O PAIS ATE POR QUE O BRASIL TAMBEM VENDE PARA A CHINA E QUER AUMENTAR A EXPORTACAO SOMENTE COLOCAR SOBRE TAXA E MUITO FACIL A INDUSTRIA BRASILEIRA E DECADENTE ESTA PARADA NOS ANOS 60 ATE HOJE

    Responder
  6. 96 Tiago 06/02/2011 11:36

    acho ruim esta iniciativa, porque pune empresas em plena assenção, dificultado a entrada e reduzindo nossa margem de lucro.Isso reduz a competitividade no mercado interno, das empresas que ficam obrigadas a comprar produtos nacionais com o dobro do preço.resumindo, fica um pouco mais dificil enriquecer explosivamente, um atendado contra os homens que se dispoe a criar empregos no Braisil.Abaixo custo, acima profit.De qualquer forma acho que isso nao tera impacto muito forte, e poderemos seguir o nosso destino feliz.

    Responder
  7. 95 Liliane 04/02/2011 10:55

    Ora viva vamos poder contar com um indústria nacional fortalecida com produtos de preços competitivos e acessíveis a todas as classes sociais. Até que enfim o governo resolveu não tomar medidas isoladas e favorecer apenas um nicho social. Vamos ver as fronteiras mais fiscalizadas e sem entrada de produtos chineses de ótima, boa ou péssima qualidade sem pagar impostos e favorecendo todas as classes sociais com direito a consumo. Pois os nossos produtos, além de pagarem menos impostos vão também melhorar a qualidade, além de diminuir a margem de lucro dos grandes empresários brasileiros. Conjecturas de um mundo ideal..Lembrar que Obama já conversa com a CHINA, pena que o Brasil ainda não nê!!!!!!!!

    Responder
  8. 94 Flávia Cristina 04/02/2011 9:32

    Parece simples a resolução: “baixar impostos”. Mas não é tão fácil assim. Olhando do ponto de vista da macro economia seria um rombo nas finanças brasileiras, causaria descontrole financeiro. Não dá para barrar a importação do dia para a noite, tem que fazer um enorme planejamento com foco em investimentos para que cresça a produção brasileira. A China exporta muito mas não é um país rico, sua população sofre com diversos problemas sociais, os impostos não são tão menores que os do Brasil, a diferença para que consiga exportar mais são condições precárias de trabalho ( o trabalhador não tem boa parte dos direitos que o trabalhador brasileiro já adquiriu) e exploração do trabalho infantil. Queremos mesmo que o Brasil se compare à China? Creio que comprar mais eletroeletrônico, brinquedos, computadores, celulares etc. não vai resolver o problema do povo brasileiro. A atitude do Mantega é louvável, deve sim CONTER as importações mas com cautela para não desequilibrar a balança comercial. O Brasil precisa de DESENVOLVIMENTO, investimentos na educação, que consequentemente gera qualificação de mão-de-obra, que por sua vez possibilita inovação na produção, criando diferencial competitivo crescendo no cenário mundial…

    Responder
  9. 93 Afonso Garcia 04/02/2011 8:32

    Graças a Deus, parece que o governo acordou, esse processo chama-se DESINDUSTRIALIZAÇÃO , e ocorre em todos os países não asiáticos. Alem do custo Brasil que é absurdo, os chineses tem custo social e salarios no mínimo 1/5 dos do resto do mundo e subsídios enormes para exportação, inclusive com enegia elétrica. Nossa empresa no ano passado começou a importar metade do que sempre produziu no Brasil, resultado, demissões no Brasil para gerar emprego na China.
    Alem de tudo que foi dito antes aqui, temos que no mínimo igualar os preços dos produtos importados, com os produzidos aqui através de impostos de importação, e não impedir as importações. Caso contrario, nós que somos os unicos produtores na America do Sul, seremos obrigados a nos transformar em importadores sómente e demitir o resto de nossos funcionários de produção. Existem produtos acabados chineses que custam o preço da materia prima aqui no Brasil, “COMO COMPETIR COM ISSO” Vamos acreditar que o Brasil esta acordando para preservar a industria nacional.

    Responder
  10. 92 Euclides Alcaraz Torres 04/02/2011 8:31

    Como sabemos, a qualidade dos produtos chineses deixa muito a desejar., motivo principal do baixo custo de produção. No Brasil, temos as normas da ABNT. Elas são rígidas, encarecendo evidentemente, o produto final, acarretando desta feita, na perda de competividade com a porcaria chinesa. Então, porque se exige para a produção nacional, aplicação de normas que não são exigidadas aos produtos importados? Em outros termos, se pretendermos frear a importação da “quincalharia” chinesa, basta aplicar-lhe as especificaçoes técnicas em comento. Não sendo atendidas, os produtos devem ser devolvidos ficando a cargo dos produtores, não apenas o custo da devolução, como também, todos encargos alfandegários, multas,…, nos mesmos moldes do tratamento aplicado ao brasil, no caso da soja, há mais ou menos 10 anos.

    Responder
  11. 91 Carlos R. Oliveira 04/02/2011 8:26

    Até que enfim está sendo tomada uma decisão que há tempos deveria ser tomada, pois já foi feito um bom estrrago na nossa industria. Não podemos mais aceitar que estes produtos chineses de qualidade duvidosa entrem no país ainda mais por vias ilegais, atrapalhando a vida de nossos empresários.
    Nossos produtos tem qualidade com certeza, mas são caros pois os impostos cobrados pelo nosso governo são altos. Se o governo quiser que os nossos produtos sejam competitivos no mercado, deveria pensar diminuir os impostos. Só precisa ter vontade política, o que pelo jeito está faltando.

    Responder
  12. 90 Fabio 04/02/2011 8:09

    Demorou e muito, desde 2002 quando o governo do Sr Presidente Luiz Inácio liberou sem gravames a importação de produtos chineses, varias micro e pequenas Empresas, de todos setores, por exemplo confecção de roupas, calçados etc, etc, faliram, quebraram, fazendo com que seus ex – funcionarios, com carteira assinada, procurassem trabalho no mercado informal. Essa bondade do Sr Presidente só favoreceu os grandes importadores, as grandes empresas, banqueiros e seu filho, o Lulinha.

    Responder
  13. 89 Gelson Crespo 04/02/2011 7:56

    Tenho certeza que sobretaxar as importações de produtos correlatos ao que produzimos no Brasil é o caminho certo para que seje evitado a quebra geral das impresas brasileiras, portanto tem que tomar o cuidado de não inviabilizar a concorrência que é fundamental para que o Brasil continue se desenvolvendo tecnologicamente, pois se fazer reserva de mercado os nossos conhecidos empresários vão ficar sentadinho contabilizando o lucro as custas da população em vez de progredir intelectualmente e tecnicamente com seus produtos e aí voltaremos ao tempo das cavernas em relação aos países que mantem a concorrencia saudável como fator de desenvolvimento de seu parque industrial.

    Responder
  14. 88 Clodoaldo Moreira 04/02/2011 7:39

    Isso na verdade eh um oportunisto do Governo para se criar mais 1 imposto !
    Na certa, a medida “preventiva” vai ser adcionar imposto extra a produtos da China, se aproveitando do que eh inevitavel.
    Fui a china 5 vezes em 2 anos. Ha produtos de otima qualidade com precos acessiveis. O milagre chines, nao eh a mao de obra escrava e má qualidade do insumo. Eh a producao em grande escala e politica de impostos mais seria. O Governo deveria adotar estes principios, para tornar os produtos brasileiros competitivos aqui e no exterior.
    Sobre a qualidade, no brasil tambem tem muito “empresario boca-de-porco”, quem faz muito lixo com preco alto e sonega imposto. Nao se pode generalizar com a China.

    Srs. do Governo, façam reforma fiscal e tributária já !!!
    Deixem esse legado, sua marca, a próxima geração …

    Responder
  15. 87 Edvaldo Rocha 04/02/2011 7:37

    É verdade,a china esta exterminando os postos de trabalho no mundo inteiro ,aqui na Espanha,ja estao dominando ruas inteiras nos polígonos industriais,com seus armazéns de importados, bolsas,calçados,roupas,bijouterias,eletrônicos etc……uma prova disso é o alto indiice de desemprego na espanha eem um país com 40 milhoes de habitantes ja temos aqui quase 5 milhoes de desempregados!se o governo federal reduzir os impostos , com certeza o mercado brasileiro ganhará muito com isso em postos de emprego,e o povo pagará menos dinheiro por mais qualidade!

    Responder
  16. 86 sergio 04/02/2011 7:33

    Já vi esse filme antes: sob o pretexto de se proteger a indústria nacional, nos fizeram perder o bonde do desenvolvimento tecnológico, tal como a maledita, faraônica e draconiana “Lei da Informática”. Esse país de irresponsáveis precisa aprender é desenvolver uma política fiscal e tributária justas, desonerando os produtores para incentivar a produção e a exportação. Comprar briga com uma nação poderosa e cabeçuda como a China só vai gerar retaliações e fazer com que Banânia tenha que ficar de quatro mais uma vez perante seus próprios erros. Tem sido assim ao longo das décadas e pelo visto não tem jeito mesmo. O país não aprende…

    Responder
  17. 85 Vagner 04/02/2011 7:19

    O governo tinha que se perguntar , Qual a fórmula Magica dos Chineses, como uma maquina por exemplo custa aqui 130.000,00 isto é o preço de custo nosso , e a mesma maquina chinesa de boa qualidade custa 60.000,00 ja com todos os impostos inclusos, eu como consumidor e Brasileiro tento prestigiar a industria nacional evito comprar produtos de origem chinesa , mais ja esta impossivel achar produtos nacionais , tudo agora é da china , não sei ainda como ainda temos empregos .

    Responder
  18. 84 Paulo 04/02/2011 7:11

    Isso é uma atitude hipócrita, se tirássimos todos os impostos em efeito cascata ( que serve somente para alimentar o bolso dos políticos ), teríamos os preços mais competitivos do mercado interno, tendo em vista que para exportação já existe incentivo fiscal. Com relação a qualidade do produto, isso é uma questão pessoal de cada cidadão; pois temos pelo que pagamos (ninguém consegue comprar uma Bentley, pelo preço de um Gol). A conscientização de uma economia saúdavel não é tributar , tributar e tributar, é criar condições favoráveis a todas as camadas sociais.

    Responder
  19. 83 Sergio 04/02/2011 6:12

    A taxação de produtos chineses pode levar a consequente retaliação de investimentos chineses no País, que expecula-se chegar a mais de 25 bilhões de dolares em 2011. Vale lembrar que além dos investimentos internos, a balança comercial com a China fechou o ano de 2.010 com um superavit superior a 5 bilhões de dolares. Taxar produtos chineses não resolveria em nada o problema, já que existem pesadas taxas de importação sobre os mesmos. Esses produtos “baratos” encontrados no mercado são todos contrabandeados para o Brasil, a taxação não traria grandes efeitos sobre os mesmos, pois não têmos capacidade de fiscalizar nossa extensa fronteira. ACORDA GENTE BURRA, isso é apenas uma medida politica, para que achem que o governo está fazendo alguma coisa. Quer resolver?Fiscaliza as fronteiras e abaixe a carga tributária do Brasil que é a mais alta do mundo. Nossos produtos são caros por que os impostos são elevadissimos, o brasileiro trabalha 04 meses no ano apenas para pagar impostos, como se cresce assim?

    Responder
  20. 82 Fernando Teixeira 04/02/2011 5:09

    Estive na China em 2009 e 2010, passando cerca de 20 dias em cada viagem, passei por diversas cidades, e a única coisa que posso dizer com toda certeza, é que elesestão MUITO a nossa frente, em tudo. A china produz porcarias sim, mas tb produs produtos de excelente qualidade, tanto é que as maiores empresas do mundo estão lá, e não é apenas pela mão de obra barata, que nem é tão barata assim, fica perto de nosso padrão aqui no Brasil, mas além disso a China tem inúmeras vantagens competitivas. O país foi dividido em polos produtores, aonde o maior potencial da região foi levado em conta, e cada polo produtos conta com seu porto que escoa a produção para todo o mundo, os meios de transporte são muito bem pensados, utilizam-se muito de vias fluviais e ferreas, a logistica é impecável, o governo cobra impostos justos e dá sua comtrapartida. A china tem muito que evoluir no campo social, mas o campo empresárial é um dos mais avançadas do mundo. O Brasil está novamente colocando a culpa de seus problemas nos outros, enquanto o empresário, desde o simples dono de lanchonete ao mega siderurgico, for sufocado por impostos, regras absurdas, corrupção, coação e outros, e o governo não tiver investimentos em estrutura, nada aqui terá preço competitivo. É tanta coisa que precisa ser mudada que eu não acredito que este país poderá fazer, não pelo menos nos próximos 100 anos. Mas quem precisa ver isto é a população, que critica sem ter conhecimento acata tudo que é lhes dito e ainda se faz por satisfeita em pagar por carro popular, preço de carro executivo do exterior.

    Responder
  21. 81 tidebatera 04/02/2011 2:07

    Lá vamos nós outra vêz, ficar sujeitos aos altos preços dos produtos brasileiros. Se esta medida for aprovada pagaremos caro os altos impostos embutdos nos produtos de fabricação brasileira e estaremos mais distante novamente de desfrutrarmos uma tecnologia de ponta. Retrocede Brasil…….

    Responder
  22. 80 celso 04/02/2011 1:32

    porque conter a iportaçao da china e nao aprender com eles,somos capases deprodusir melhores produtos e de qualidades incontestaveis no mundo ,prejudicar a clase pobre e ser imaturo pois e um mercado de grandes projeçoes futuras , baichar os impostos seria um passo ou igualar a produçao mais barata começando a negosiar com os fabricantes de pesas,pois achina invadiu o mundo com seus produtos mais aquicivel podemos faser igual.. se foce tao rui ninguem comprava..governantes vamos pensar em futuro pois nece raciocinio ex..vamos voltar a epoca do fusca…um pais e feito de inteligençia e nao de impostos.. obrigado

    Responder
  23. 79 JOSE JR 04/02/2011 0:21

    O EMPRESARIO BRASILEIRO TEM QUE CONVIVER A COMPETIÇÃO INTERNACIONAL. O BRASIL É UM DOS PAÍSES MAIS FECHADOS COMERCIALMENTE DO MUNDO. PESSIMA MEDIDA DO MANTEGA.

    Responder
  24. 78 Gutemberg 03/02/2011 23:57

    Analisando alguns comentários acima, observo que ainda há certa racionalidade a cobrar ações políticas que realmente resolvam o problema da indústria nacional, não se limitando a medidas paliativas de um ministro de atitudes flutuantes que não trarão solução alguma ao problema enfrentado pelo Brasil, que é mais de competitivade que de qualquer outra coisa. Uma infraestrura capenga traduzida em portos, ferrovias, rodovias e aeroportos ineficazes, além de cilagem inexistente; alto custo operacional que imperra o escoamento da produção agrícola tornando impraticável competir com economias mais eficientes e levando – como já está acontecendo – a uma grande perda de mercado para países como China, Coréia do Sul, e outros que fizeram sua lição de casa e tornaram-se competitivos, ultrapassando nosso gigante adormecido. Não se espantem se Cuba daqui a dez, vinte anos, após deixar o regime comunista ultrapassar-nos, também, em eficiência e competitividade (pelo menos a educação lá é forte).
    É indispensável – sim – diminuir muito o custo Brasil mas como fazer isso em um governo estatizante que cada vez mais incha a máquina pública e é contra privatizar empresas produtivas como a Vale do Rio Doce e outras que hoje, longe das garras dos políticos se transformaram em gigantes que geram empregos, arrecadam impostos aos cofres do governo e cumprem assim seu papel social.
    É sim, necessário e premente a simplificação do nosso sistema tributário e, contra toda a burocracia que emperra o maior desenvolvimento do nosso País, substituir toda essa absurda parafernália de impostos e taxas, por um sistema moderno que não prejudique em nada a distribuição entre União, Estados e Municiípios, nem tampouco, os seus direcionamentos específicos, como Saúde, Educação e Segurança, além, é claro da infraestrutura, acabando ao mesmo tempo – ou diminuindo em muito – com os devios de finalidade, corrupção e outras milongas mais. A solução mais imediata, é uma Reforma Tributária, com a consequente introdução do IVA – Imposto sobre Valor Agregado em substituição à orgia tributária reinante no País. Temos que reduzir o chamado custo Brasil e tornar a indústria nacional competitiva para enfrentar a irreversível globalização.

    Responder
  25. 77 waldemar 03/02/2011 23:46

    ACORDA MANTEGA:
    É PRECISO BAIXAR O CUSTO GOVERNO,MENOS IMPOSTOS…
    DAÍ SE RESOLVE A QUESTÃO!

    Responder
  26. 76 Jeff-Prudente 03/02/2011 23:36

    A questão é extremamente simples. Basta o Governo reduzir a tão falada carga tributária, deixando os empresarios respirarem, modernizarem suas empresas, sem, contudo, sentirem que possuem um sócio que ao final de cada mês só quer dinheiro, dinheiro, dinheiro.

    Responder
  27. 75 Salim Silva 03/02/2011 23:34

    Sr. Ralf Mallmann , lementavel seu comentario, talvez vc não tenha ideia de tamanha desigualdade, a industria nacional carrega nas costas uma enorme carga tributária, não acredito que tecnologia mudaria isso, PQ NÃO SE APLICA A MESMA TRIBUTAÇÃO QUE A CHINA APLICA EM SEU PAÍS, TEMOS QUE CONTER ESSAS IMPORTAÇÕES, ISTO SÓ ACABOU COM OS NOSSOS EMPREGOS E FEZ COM QUE MUITAS INDUSTRIAS FECHASSEM.

    Responder
  28. 74 João Batista 03/02/2011 23:17

    O brasileiro de um modo geral tem o péssimo hábito de comprar pelo valor (preço)
    e não pela qualidade, Que convenhamos o produtos da China são péssimos quando se trata de qualidade.

    Responder
  29. 73 edmar 03/02/2011 23:13

    Que tal tomar uma atitude séria contra o contrabando do Paraguai, que não é legal. E manter uma boa relação com a China que pelo menos trabalha para ter o que tem e ser o que é hj?????

    Responder
  30. 72 João Batista 03/02/2011 22:58

    Sou vendedor de auto peças e fico perplexo com as diferenças dos produtos “made in china” para os fabricados aqui no Brasil, a diferença é enorme, e como o varejo irá fazer se quem compra seu produtos é o operário brasileiro e não o chinês?

    Responder
  31. 71 SergioBrun 03/02/2011 22:44

    O que é inacreditável, é que empresários brasileiros estão produzindo na China, com etiqueta da marca consagrada no Brasil, fechando postos de trabalho no Brasil e criando postos de trabalho na China, a sociedade deveria criar um selo, a CNI poderia ser a articuladora da idéia,
    ESTE PRODUTO FOI PRODUZIDO NO BRASIL
    GEROU EMPREGO E RENDA AOS BRASILEIROS
    -Os sindicatos dos trabalhadores brasileiros tambem tem que entrar na briga
    -O governo deverá fechar linhas de crédito do BB, Caixa e BNDES para quem importa produto final de consumo, havendo produçao interna, é capaz que bancos ainda estejam financiando essas importaçoes

    Responder
  32. 70 Marcelo 03/02/2011 22:32

    Até peças básicas de mecânica automotiva de carros fabricados no Brasil hoje vem da China. Uma vergonha um país de dimensões continentais e tantos recursos esbarrar em modelos de impostos do século passado que não permitem a competitividade industrial. Estamos numa decadência intelectual, logo esbarraremos em uma bolha econômica como a europa se deparou. Infelizmente o modelo econômico brasileiro do século 21 é o mesmo do século 18, se resume a exportar matéria prima e produtos de baixa tecnologia.

    Responder
  33. 69 Gerson 03/02/2011 22:16

    A carga tributaria e os encargos sociais na China são muito menores que no Brasil, mas é preciso analisar os dois lados da moeda. Não adianta o Brasil apenas aumentar os impostos de importação, é preciso organizar e reduzir a carga tributária brasileira que incide sobre a matéria prima, sobre a produção, sobre o produto final, sobre o salário, sobre a venda do produto final e ainda sobre os serviços prestados na venda. Falta coragem política para organizar tudo isso e reduzir não só as alíquotas, mas também a quantidade delas. Ex: do meu salário é descontado o INSS e o IRPF. Quando compro um produto ou serviço com o que sobrou do meu salário, pago ICMS, IPI, PIS, Cofins, ISS, etc, sem contar o IPVA, IPTU, ITBI, Cide…… e quando pego a estrada, se não pagar pedágio, arrebento meu carro nos buracos que não deveriam existtir em função do IPVA e da Cide.

    Responder
  34. 68 Rafael 03/02/2011 22:15

    Sou contra, temos é que ser mais competitivos, virar o jogo, ganhar deles e ganhar mercado lá fora também. Não dá simplesmente fechar o mercado e obrigar o consumidor a pagar preços exorbitantes por produtos ruins, como era na época da reserva de informática. O caminho é educação de qualidade, incentivo à produção, com impostos que não sufoquem o setor produtivo.

    No caso de dumping descarado, aí sim acredito que cabe aplicação de taxas para equalizar os preços com os do mercado interno.

    Responder
  35. 67 Ednaldo Rogério 03/02/2011 22:12

    É verdade que a invasão dos produtos Chineses traz prejuízos enormes a economia brasileira o que reflete nos trabalhadores e empresários. Mas é verdade também que “nossos” empresários devem promover mudanças estratégicas no sentido de baratear seus produtos. A idéia de que a carga tributária e os custos com empregados é a causa da falta de competitividade não se sustenta, porque, assim como na China, aqui eles costumam pagar salário de miséria para a classe trabalhadora. No Brasil os empresários continuam querendo ter lucro facil. O remédio é trabalhar mais e chorar menos.

    Responder
  36. 66 Josemar 03/02/2011 22:06

    Engana-se quem pensa que é simples assim, tem indutrias brasileiras que compram produtos chineses oem ou componentes avulsos montam e depois vendem como se fosse nacionais, pricipalmente eletroeletronicos e ferramentas comessem a ler as entiquetas dos produtos e veram que ta se tornando raridade produtos nacionais.

    Responder
  37. 65 Francisco Nobre 03/02/2011 22:04

    A rigor eu seria contra tal medida protecionista que, ao final das contas, pode até trazer mais inflação aqui para nós. Se o governo quiser reduzir as importações da China, basta reduzir os impostos, até o “zeramento” de alíquotas em alguns casos, para produtos congêneres, ou para uma cesta de produtos que tenham alto impacto nesta “desindustrialização” do Brasil.
    Acho que o mundo inteiro, principalmente em países com médio-alto a alto grau de industrialização (como o Brasil) deveriam adotar medidas drásticas contra a China. Todos sabem que, nas condições atuais, é impossível competir com a China, mesmo que os países reduzam impostos a zero. Isso é um fato.
    Um trabalhador chinês dá graças a Deus por estar empregado, como qualquer trabalhador no mundo. Porém, o trabalhador dá graças a Deus, ao patrão e ao governo, mesmo recebendo um salário baixíssimo (atése comparado ao Brasil, pois na China não existe salário mínimo). Pagamento de horas-extras na China? Uma piada. O sujeito trabalha doze horas, ganha oito e fica super feliz. Ganhar 13º salário? O trabalhador chinês nem imagina que isso possa existir. Férias de 30 dias com 1/3 a mais? Ahahahah! Chinês não tem férias, e os poucos que tem, nem remunerada é, ou seja, sai e não ganha. Chinês só ganha se trabalhar. Se ficar doente azar o dele, quando se curar já tem outro no lugar. Aposentadoria? O que é isso? Trabalhador chinês trabalha até morrer. E nem adianta reclamar, pois não existe Justiça do Trabalho, o sujeito trabalha e tem direito ao salário de fome, e só isso, e fique contente.
    Como competir com um país desse, que vive na Idade Média em relação aos direitos trabalhistas?
    Temos claramente que desincentivar essa sanha de produtos chineses, pois senão todos nós teremos que voltar para o século 16 em termos de condições de trabalho. Por acaso alguém deseja isso? Não é melhor voltarmos a comprar um pouco mais caro, demorar um pouco mais para adquirir bons produtos nacionais, do que incentivar esse sistema?

    Responder
  38. 64 O.Bassani C. 03/02/2011 21:42

    Bom saber das medidas a serem tomadas visando defender nossas industrias, nossos empregos. Vamos torcer por medidas evidenciando tributação elevada na importação, tributação cambial devido à desvalorização ‘artificial’ da moeda chinesa e controle rigoroso de todo produto importado.

    Responder
  39. 63 jairson 03/02/2011 21:42

    Entendam:
    o governo quer apenas mais arrecadação…
    Façamos assim então…aumentem a aliquota desses produtos mas baixem o imposto dos nacionais para incentivar o logista a comprar os eletronicos nacionais orasssssss….!!!!!!!!

    Responder
  40. 62 Marcos 03/02/2011 21:31

    Muitas fabricas já fecharam as portas e muitas estão com divida por conta destes produtos da China
    ACORDA GOVERNO

    Responder
  41. 61 Raimundo 03/02/2011 21:05

    O governo deveria adotar uma política para cortar definitivamente a importação desses produtos da China que não tem utilidade nenhuma. Os derivados do ferro é uma vergonha, também. Na primeira vez de uso ou quebra ou entorta, etc. Só importar produtos que durasse no mínimo uns 3 anso. Manda o INMETRO testar amostras dos produtos antes de ir para o mercado.

    Responder
  42. 60 Haydee 03/02/2011 21:00

    Se isso acontecer vai haver uma crise economica pior do que aconteceu no ano passado , nos Estados Unidos e Europa ,…nos não estamos preparados para suprir a falta dos produtos que vem da China
    Mesmo eles sendo importados …são mais baratos para o consumo , do que se tiverem que ser feito aqui no Brasil

    Responder
  43. 59 Rafael 03/02/2011 20:39

    Barrar a importação de produtos chineses inicialmente pode gerar inflação no país. O ideal seria dar condições para as fábricas brasileiras produzirem produtos com preços competitivos e então naturalmente a importação iria diminuir, pois o produto produzido no nosso país passa maior confiança para o consumidor brasileiro.

    Responder
  44. 58 Paulo C. Roriz 03/02/2011 20:37

    Barrar importaçao da china, hora isso e brincandeira.. nos Brasileiros e Governo, sabemos que o GRANDE PROBLEMA e o propio GOVERNO com impostos abusivos praticado neste PAIS, e um abisurdo nos pagarmos por bens de consumo no minimo QUATRO VEZES o VALOR REAL como eu sou pobre, prefiro fazer minhas compras nos ESTADOS UNIDOS.

    Responder
  45. 57 Jose Neto 03/02/2011 20:37

    O que tem que acontecer é o Brasil diminuir seus impostos absurdos para ter competitividade. Temos a maior carga de impostos do mundo!!!!! ISSO É UMA VERGONHA!!!!

    Responder
  46. 56 Fabio 03/02/2011 20:31

    E uma medida populista e eleitoreira. Como no mundo globalizado um governo

    pode tomar uma atitude dessa com um dos mais importante parceiro comercial.

    Acaba com essa CLT E IMPOSTOMETRO.

    Resouvido o problema da concorrencia.

    Responder
  47. 55 Bruno 03/02/2011 20:27

    Criar salvaguarda de importação não vai fazer o Brasil crescer ou exportar. Nossa indústria continuará desamparada. Para resolver essa questão o Governo deve: 1- Melhorar a infraestrutura. 2- Reduzir impostos. A questão cambial se ajusta se isso acontecer, pois o país ficará mais compeitivo. Além disso, tomara que o Governo se lembre que no ano passado os chineses foram os maiores investidores estrangeiros no Brasil e foram os que mais compraram nossas comodities. É mais fácil colocar culpa no sucesso deles do que criar condições favoráveis para o empresariado brasileiro trabalhar.

    Responder
  48. 54 José Osvaldo da Silva 03/02/2011 20:23

    Se me mostrarem uma só indústria que detem tecnologia para fabricar estas bugigangas que o Brasil importa da China e de outros paises , aí eu vou aplaudir , senão é tudo blá blá blá..um cidadão aqui falou os Pcs baixaram de prêço porque diminuiram os impostos heheheede,de onde vem os componentes para “montagem” dos mesmos? Fala sério!!!!

    Responder
  49. 53 Fernandes 03/02/2011 20:17

    O que se consegue com isso é apenas aumentar os preços, a inflação e novamente a taxa de juros, prejudicando o poder aquisitivo de todos, por que não investir em infra estrutura, redução da carga tributaria e da maquina administrativa, priorizando a industria nacional, como mencionado em comentarios anteriores, alguns produtos da China são feitos com Materia prima Brasileira, que após industrializada retorna para nós. Todos sabemos o remedio, e o mesmo é amargo sobretudo para o Governo que tem que controlar seus gastos, novamente estamos nos enganando.

    Responder
  50. 52 Hercilia 03/02/2011 20:14

    Finalmente uma iniciativa sensata, não conheço nada que venha de lá que presta, como disse o funcionário que instalou meu telefone: “tudo é tão ruim que não se pode dizer sequer que é descartável”…rs

    Responder
    • obredy 21/09/2011 6:26

      Se for assim então hercilia tudo oque veem de la nao presta entao melhor nao comprar mais nada. Pois ate mesmo os ditos originais que vc compra nas lojas sao peças feitas por nossos amigos chineses.

  51. 51 Paulo César Moreira de Souza 03/02/2011 20:01

    Façam como eu: se o produto tiver origem chinesa, faço questão de deixá-lo na prateleira. Pago mais caro mas ganho em qualidade e defesa de nossos produtos, fábricas e empregos.

    Responder
  52. 50 chico 03/02/2011 19:41

    O BR faz otimos produtos de alta qualidade,mas esbarra nos altissimos impostos que tornam esses produtos acessiveis apenas para uma elite rica e cheia de status,quem sabe algum dia o governo acorda e incentiva a nossa industria com baixa carga tributaria e assim poderemos deixar de compra produtos chineses e do paraguai ,feitos para os pobres pagadores de impostos deste pais.

    Responder
    • Lima 03/02/2011 23:26

      Mantega sabe disso e fique pensando em alternativas, baixa os imposto e verá a mesa virar.

  53. 49 luiz 03/02/2011 19:40

    a china ja acabou com as fabricas da Espanha. por aqui se voce compra 100 produtos 101 e chines.

    Responder
  54. 48 Luis Carlos 03/02/2011 19:34

    Ja era tempo, estou de saco cheio desses produtos chineses de ma qualidade, preço baixo, que tiram o emprego de nossos familiares e so atenden aos anseios dos comerciantes do baratinho que em regra importam tudo da china com preço sub-faturado……..

    Responder
  55. 47 Ralf Mallmann 03/02/2011 19:23

    Barrar a importação é uma decisão sem fundamentação, ja que os impostos, empregos e todos outros tributos sao empregados em produtos importados ate mais que nos nacionais, agora o que deve ser feito é melhorar a tecnologia do pais e ver que nos estamos muito atraz deles e tentar supera-los.

    Responder
    • Josemar 03/02/2011 21:52

      concordo com o Ralf, o governo já morde 60% de pessoas fisicas e juridicas essa porcentagem quase dobra com ipi e icms sendo cobrado em cima do preço total mais a taxa de 60% , depois dizem porque o contrbando não acaba.

    • Haydee 03/02/2011 21:04

      concordo plenamente , a tecnologia brasileira é de baixa qualidade alias nos estamos muito atrasados em relação a qualquer pais. vamos dizer ,…esse atraso tecnologico é de uns 40 anos … e vai ser dificil igualar essa tecnologia ..

  56. 46 Lage Antão 03/02/2011 19:17

    É uma medida de pouco alcance e paliativa, porém bem vinda. Entretanto é necessário atacar imediatamente o custo Brasil. Precisamos de aplicação maciça em infraestrura de cabotagem, ferrovias, aeroportos, rodovias e portos. É necessário que o Governo dirija recursos para esses segmentos e que os memos cheguem a seus destinos e aplicados nessas finalidades. É necessário diminuir muito o custo da máquina pública em todos os setores do Poder. É necessário e premente a diminuição, a simplificação e a regulamentação dos absurdos e abusivos IMPOSTOS E TAXAS que se cobram em nosso Brasil.Mas é também impressionante como todos os “GOVERNOS” sabem e desde longa data que existe sómente estes caminhos a trilhar e nenhuma providência a respeito é TOMADA. Estão aguardando o sucateamento das nossas industrias, comércio, serviços e do nosso povo para tomarem alguma medida a respeito? Estão aguardando que mais empresários brasileiros além do 10% que já abriram ou transferiram negócios para a China tomem a iniciativa de aumentar esse percentual de forma vergonhosa para nossas autoridades constituidas por causa de omissão governamental? Estamos em inicio de governo. Temos pela primeira vez na história deste País uma PRESIDENTA nos representando. Faço votos que ELA tenha a inciativa e a altivez para implementar as reformas que tanto precisamos. Se isto ocorrer, poderemos construir um PAIS mas justo e humano.

    Responder
    • Bruno Marinheiro 03/02/2011 23:17

      Não necessariamente é preciso cortar impostos ou reduzir a máquina pública
      O Canadá possui altíssimas taxas de impostos e a França possui uma imensa máquina pública. Possuem seus problemas, claro, mas são exemplos de que essa ladainha neoliberal não é necessariamente o único caminho

  57. 45 EDNELSON SANTOS 03/02/2011 19:12

    PARABÉNS!

    SE VOCÊ FIZER ISSO, VAI RESGATAR A AUTO ESTIMA DOS FABRICANTES BRASILEIROS, QUE CONVIVEM COM ESSA POLITICA DE PREÇO DESLEAL DOS PRODUTOS CHINESES.
    E O PAIS VAI CRESCER MUITO COMBATENDO ESSA PRAGA (PIRATARIA CHINESA).

    EDNELSON SANTOS

    Responder
  58. 44 Claudio 03/02/2011 18:41

    Alem de cobrar taxa o governo precisaria ficar mais atento com produtos subfaturados, e com a qualidade duvidosa de varios itens. Para produzir no Brasil, são tantas exigencias, e o que chega da China vem sem controle nenhum.

    Responder
  59. 43 Marcos 03/02/2011 18:36

    Aleluia!; até que enfim o governo tomará medidas para conter as importações da China. Estou na área comercial há mais de trinta anos e vivenciei o drama que muitos empresários enfrentaram nos ultimos anos,por conta da concorrencia predatória ( Tecelagens, calçadps, brinquedos, eletroeletronicos,cerâmica, autopeças, só para citar alguns). Os EUA , há muitos anos estabeleceram cotas para diversos produtos, protegendo a industria local. Esperemos que o ministro da fazenda realmente ataque o problema com a seriedade que o assunto merece.

    Responder
  60. 42 Mauro Giorgi 03/02/2011 18:32

    Como diria Nelson Rodrigues “até os paralelepipedos sabem a resposta”, mas que nunca será implementada, menos impostos, menos impostos, e menos impostos, garanto que seremos competitivossem mexer em nada. Porque não olham o exemplo do que fizeram com PCs, caíram os impostos, todos compraram, não parou a importação e a Positivo se tornou uma gigante. Existem outros exemplos, mas parem de gastar, economizem, reduzam o tamanho do governo e reduzam impostos.

    Responder
    • Ricardo 03/02/2011 22:10

      Não adianta baixar impostos….as vantagens da China são inúmeras: impostos, câmbio manipulado, infra-estrutura adequada, juros artificialmente baixos, crédito infinito e subsidiado e custo de mão de obra baixíssimo… Tais fatores levaram a China a tornar-se a fábrica do mundo. Não é o Brasil que sofre: já não se fabrica mais nada nos EUA, Europa, etc. O exemplo da diminuição dos impostos na área de informática apenas permitiram que se importasse mais da China, pois os insumos são todos chineses.

  61. 41 Giovani 03/02/2011 18:22

    Barrar importação da china é o certo ? eu acredito que temos q incentivar a industria brasileira p podermos ter produtos de qualidade e preço baixo .

    Como q vamos barrar importação de celular da china sendo q nao temos fabrica aqui no brasil ???

    Responder
  62. 40 Gilson 03/02/2011 18:18

    Já estava na hora de adotar um ideal mesmo, existe muita bobagem chinesa de má qualidade circulando no mercado brasileiro aparentemente com precinho bom e quebrando o nosso mercado interno que detinha qualidade e emprego; precisamos importar sim, mas aquilo que de fato nos interessa e não bobagens como tem sido importado nos ultimos anos. Não podemos de jeito nenhum comparar os nossos produtos aos deles, a nossa soja inclusive com outros produtos deles. O Brasil deveria também adotar uma nova política de exportação, e não vender mais a soja em grãos a precinhos camaradas do mercado, o Brasil deveria vender os produtos manufaturados, o mundo carece de comida, portanto, comida não tem custo barateado como fica exigindo países como a china, custo barateado só para o nosso povo, sim senhor, pois a terra, precisa de adequação para produção, além de tempo favoravel, combate as pragas e temporais sem contar com a logística de armazenagens etc. Importar produtos de qualidade hoje, é fazer cumprir o mesmo direito da exigência da exportação.

    Responder
  63. 39 Carlos Alberto 03/02/2011 18:18

    É inacreditável a capacidade dos chineses com relação aos preços que ofertam no mercado internacional. Simpeismente imbatível e de uns anos para ca tb com qualidade (que não era muito o foco deles)

    Por que não reduzir os impostos incidentes nos produtos produzidos localmente e assim nos tornarmos competitivos com os chinese e ainda incentivar as industrias nacionais?

    Sempre tomamos as medidas pelo lado errado.

    Responder
  64. 38 Fioravante Furlaneto 03/02/2011 18:15

    Nada de novo. É a velha política protecionista. Em vez de baixar impostos e promover a concorrência, prefere criar feudos e depois ficar culpando os empresários de gananciosos. Ninguém está nesse mundo para fazer caridade. Todo mundo quer o lucro, que é o melhor combustível do crescimento. Cabe ao governo regulamentar o lucro através da concorrência e não criar protecionismos.

    Responder
  65. 37 William Otero 03/02/2011 18:12

    (Se) realmente o governo criar medidas que impessam a entrada de produtos manufaturados chineses no Brasil, ponto positivo para o governo Dilma, afinal de contas esses produtos com qualidade muito, mas, muito inferior ao nacional está prejudicando a indústria brasileira. As vezes o barato sai caro e é o que está acontecendo; brasileiros vamos incentivar nossa indústria, senão o País quebra!!!!!!!!!!!!!!! Um abraço a todos.

    Responder
  66. 36 Charles Rodrigues 03/02/2011 18:10

    Até que enfim alguém vai tomar alguma atitude relacionado a isso.
    Atualmente essa atidtude complacente do governo diante desse mercado chinês sempre me deixou espantado, vamos ver o que vai acontecer.

    Responder
  67. 35 Patrick 03/02/2011 18:04

    Uma verdadeira palhaçada! Ele quer é que nós fiquemos reféns dos altos impostos cobrados sobre os produtos vendidos aqui

    Responder
  68. 34 Antonio de Pádua 03/02/2011 18:04

    O deputado Mendes Thame (PSDB-SP) elaborou o Projeto de Lei 717/2003, que estende aos produtos importados as mesmas exigências de segurança e qualidade que são cobradas dos produtos de fabricação nacional. Assim, os importados também deverão estar em conformidade com a Regulamentação Técnica Federal, principalmente os da China. Já recebeu parecer favorável e aguarda análise da Comissão de Assuntos Economicos. O que precisa agora é pressionar para que o projeto seja votado imediatamente no Congresso. Porque o Sr. Ministro não dá o exemplo, presionando os congressistas?

    Responder
  69. 33 Francesco 03/02/2011 17:59

    interessante

    Responder
  70. 32 Paulo Vitor Ferreira 03/02/2011 17:57

    AH, outra coisa, Sou comprador assíduo da China p/ o meu Hoby “Aeromodelismo”
    Vocês cobram 60% de impostos (é muito), outra coisa as Lojas cobram em cima inclusive dos impostos Mais 100%, tornando inviável esse Hoby. a saída é importar direto afinal de contas estamos nos Globalizando também.
    Somos consumidores Globalizadores, vou comprar do Iraque, Cuba, Russia onde estiver mais barato.

    Responder
  71. 31 Henrique Melo 03/02/2011 17:57

    Necessária e muito tardia medidas que combatam as práticas comerciais chinesas, só que tem o outro lado da “moeda”, ninguém quer enfrentar as possíveis retaliações comerciais da China. Se não se tomar medidas claras e objetivas, o mundo vai se ajoelhar diante dos chineses em bem pouco tempo. Como resolver essa equação será um bom “dever de casa” para renomados economistas.

    Responder
  72. 30 Francesco 03/02/2011 17:55

    Seria interessante o Brasil começar a pensar em produzir com maior eficiência, investindo na qualificação da mão de obra nacional e diminuindo a pesada carga tributária. Proibir importações é tapar o sol com a peneira. O mundo está globalizado e a concorrência é benéfica até certo ponto. Reforma tributária já. Educação sempre.

    Responder
  73. 29 Emerson 03/02/2011 17:55

    Como sempre, o governo é sempre atrasado, atualmente estamos sendo inundados por produtos chineses e nenhuma ação é tomada. As empresas brasileiras tem capacidade de produzir os produtos importados, porém com os altos impostos que temos, não conseguimos competir com os produtos Chineses…..
    Nossa M.P. está sendo vendida para a China e estamos comprando o produto transformado a preço baixo, para os consumidores isso é bom, mas para as industrias nacionais é um desastre.
    Temos que proteger nosso mercado e ficar atentos, pois a qualidade dos produtos da China sempre são questionáveis, principalmente no quesito segurança alimentar.

    Responder
  74. 28 Paulo Vitor Ferreira 03/02/2011 17:51

    Bem, já está na hora do Governo rever também os preços praticados pelas Indústrias brasileiras e mais do que nunca rever seus impostos.
    Sou Micro Empresário e sou tratado como LIXO cheio de Barreiras impostas pelo Governo desde o início de minha existência.
    Já estamos no ano 2011, Minha folha de Pagamento é grande demais, meus encargos maior ainda, meus Impostos maior ainda.
    Trabalho pra pagar todo mundo “Chupins”, pra mim mesmo só sobra contas atrasadas.
    Precisamos nos modernizar também nos impostos, salários etc.

    Responder
  75. 27 Jacques Aroeira 03/02/2011 17:48

    Muito bôa medida, e cá prá nós, nossos produtos são muito melhores que o deles.

    Responder
  76. 26 Gislene 03/02/2011 17:47

    Já passou da hora de o governo tomar atitudes para evitar que a importação dos produtos chineses acabem com as indústrias brasileiras. Mas além de cobrar taxas sobre os produtos importados, fabricados também por aqui ,o governo deveria reduzir os impostos no nosso País ! Com a redução de impostos, os preços tornariam-se muito mais acessíveis, e problemas como esse teriam uma grande melhora . É o famoso comprar xing ling porque é mais barato… prova disso se vê todos os dias. Basta dar uma circulada nos grandes centros urbanos, por exemplo, Rua 25 de Março em São Paulo. 10 pares de meia R$ 3,00…e outras coisas. O povo brasileiro já ganha tão pouco, não pode deixar todo seu suado ( e difícil) salário em compras onde se paga mais imposto do que o próprio produto…

    Responder
  77. 25 fabio nelli 03/02/2011 17:46

    A medida e necessaria, mas não so com os produtos da china, mas tambem com a farra de carros importados principalmente da Coreia e Japão.

    Responder
  78. 24 Ruben Silva 03/02/2011 17:39

    Sinceramente são medidas para tapar o Sol com uma peneira, importo eletronicos da China porque aqui no Brasil não ha equivalentes, estamos 20 anos atras dos chineses em tecnologia. Não se investe pesado em educação, engenharia, nada, so demagogia.
    Pago 77% de impostos para os comprar, que mais impostos vão inventar?
    Isto e so mais uma medida pifia de mostrar quanto somos incompetentes para fazermos tablets, smartphones etc, a preços competitivos, que mesmo fabricados no Polo Industrial de Manaus conseguem ser mais caros que importados com todos impostos pagos. Aqui não existe uma fabrica de processadores como Intel, Amd, Infortm nada, so assembladores, que depois lançam produtos made in Brazil fabricados no sudoeste asiatico.

    Responder
  79. 23 Terezinha 03/02/2011 17:39

    SR Manteiga,muito facil resolver esse problema,basta cobrar menos impostos dos empresarios brasileiros,fazendo isso os preços baixarão,com certeza ninguem vai precisar comprar produtos da China se temos os mesmos com preços iguais. Eu mesmo adoro um importado,tudo porque é mais barato. A economia do Brasil só vai melhorar o dia em que os governos botar a mão na conciencia,e ver que essa cobrança é um verdadeiro cançer para todos nós.

    Responder
  80. 22 junior 03/02/2011 17:35

    ate que fim tomaram vergonha na cara! Estamos virando um paraguay

    Responder
  81. 21 Rui Fonseca 03/02/2011 17:32

    Já está mais do que na hora do nosso governo intervir nessa àrea, a muito tempo que produtos chineses interferem na nossa economia e fecham muitas empresas devida a politica de exploração humana, assim a concorrência fica dificil, mas para que ser nacionalista,né! se muitos consumidores, lojistas e fabricantes só querem levar vantagem e não estão nem aí para tudo isso, querem apenas aumentarem seus lucros.

    Responder
  82. 20 gonçalves 03/02/2011 17:30

    Tem que frear as entradas pelo paraguai, isto sim é uma sacanagem, porque o que vem legal pelos portos e aeroportos são taxadas pelos impostos, agora do paraguai vem como se aqui fosse terra de ninguem.

    Responder
  83. 19 eduardo 03/02/2011 17:29

    O brasil precisa gerar empregos para crescer e ser um pais feliz.

    Responder
  84. 18 mack 03/02/2011 17:25

    Esta mais do que na hora de medidas coerentes que protejam as industrias brasileiras, pois no ritimo de importações de produtos duvidosos que entram no país a qualquer preço, bem como, de produtos contrabandeados, é questão de tempo para que muitas empresas venham a fechar e consequentemente o desemprego nas indústrias. Não podemos esquecer também , da carga tributária que incide nos produtos manufaturados e taxas que incidem na folha de pagamento das empresas tornando nossos produtos extremamentye caros , sem poder de competição no mercado interno e externo (sem falar no real extremamente valorizado).

    Responder
    • mack 03/02/2011 17:32

      As colocações feitas, estao de acordo com que este novo governo vem propondo , a fim de manter a economia sob controle e crescimento sustentado.

  85. 17 OIVER 03/02/2011 17:20

    MUITO BOM TAL ATITUDE, NA CHINA A MÃO DE OBRA É ESCRAVA, OS TRABALHADORES NÃO CONTAM COM DIREITOS FUNTAMENTAIS, POR ISSO QUE OS PRODUTOS DE LÁ CHEGAM SUPER BARATOS, CAUSANDO FALENCIA EM MUITAS EMPRESSAS, E TEM ATÉ EMPRESSAS BRASILEIRAS QUE SE TRANSFEREM PRA LÁ, SÓ PRA GOZAR DESTAS VANTAGENS, EM DETRIMENTO DAS DESGRAÇAS DOS NECESSITADOS.

    Responder
  86. 16 nasser 03/02/2011 17:18

    Demorou! Não aguento mais essas tralhas “MADE IN RPC” que só funcionam uma vez e quebram. O pior é que eu procuro as equivalentes fabricadas no Brasil, e nem encontro! E olha que aceito pagar 20x mais !

    Responder
  87. 15 Diógenes 03/02/2011 17:18

    Lamentavelmente estamos regredindo na medida em que esse tipo de barreira já foi utilizada no passado e não teve resultados positivos. Sobretaxar importações dá a liberdade para que o outro país sobretaxe nossos produtos. Melhor seria enfrentar o problema com alguma seriedade e promover a reforma tributária. Não iria resolver a questão do câmbio mas já seria de grande ajuda.

    Responder
  88. 14 nelson- 03/02/2011 17:14

    Todo meu apoio a guido mantega. O brasil tem que se preocupar em gerar emprego interno; e dar condiçoes para as empresas se modernizarem, e sofrer concorrencia externa justa; principalmente da china! O pais tem todas condiçoes para isso; e so acreditar e pau na maquina!

    Responder
  89. 13 Cláudio 03/02/2011 17:10

    Demorou ! todos sabem de a muito que existe uma importação predatória por parte da China, notadamente em produtos manufaturados.
    O governo foi avisado sobre essa situação em inúmeras ocasiões pelas entidades de classe e nada tem feito para frear essas práticas ; em nome de acordos que permitem exportar certos produtos para a China decidiu sacrificar setores vitais para a economia brasileira, mormente aqueles que empregam mão de obra extensiva.
    Não estou me referindo a importação de matérias-primas que , essas sim , são importantes para a indústria nacional e que permitem a fabricação de produtos mais baratos e competitivos tanto para o mercado interno quanto para nossas exportações.
    Acordou tarde pois parte da indústria nacional foi sucateada devido a uma política de importação míope e inconsequente.

    Responder
  90. 12 Wiliam Fernandes 03/02/2011 17:10

    Sou Representante comercial de uma empresa 100% brasileira que completa em maio deste ano 100 anos.

    Passou da hora de nossos governantes tomar uma providência a respeito de produtos importados da China, onde os mesmos não tem qualidade, ou seja não oferece se quer um custo beneficio para o consumidor brasileiro, fazendo com que este consumidor faça comparação com os produtos nacionais, isso que nos revolta.

    Na China a mão de obre é uma vergonha de tão barato, não se tem impostos e a qualidade é péssimaem 98% dos produtos que de la são trazidos, ao contrário do Brasil, que temos uma carga tributària ALTíSSIMA, a empresa que trabalho é do ramo de Utilidades Domésticas e sofremos muito com essa invasão sem limites.

    Nossos poíticos precisa valorizar mais as empresas que aqui geram milhares de empregos e não exportar empregos para China.

    Responder
  91. 11 Osmar Lopes 03/02/2011 17:08

    FINALMENTE, o Brasil acordou para o golpe industrial que a China tá preparando.
    Golpe no seguinte sentido: Dezenas de industrias estão operando no mercado brasileiro somente com a marca, sua linha produção está toda na China, pois lá o valor da mão de obra é ridicula. A China já assimilou tudo quanto é linha de produçao e qualidade, como o mundo tá transferindo a linha de produçao para lá, milhares de industrias são fechadas pelo mundo, inclusive aqui. Ai vem o golpe, quando a produção mundial estiver toda na china, ela irá ditar a regra, e os preços que eles irão praticar será mil vezes o valor que pagamos hoje.
    Parabens ao Mantega por acordar para esta situação.

    Responder
  92. 10 francisco 03/02/2011 17:02

    nos ja vivemos em meio a monopolios, que mantem os precos com lucros exorbitantes
    imagine se nao tiver produtos da china concorrendo, vao deitar e rolar com os precos.
    chega de massacrar os pobres com inflacao, depois dizem que vao acabar com a miseria.

    Responder
  93. 9 pegolo 03/02/2011 17:01

    Sera? Sera que o nosso governo enxergou o obvio, demoro, mais ainda tenho duvidas a respeito, se acontecer , sem dudiva é muito bom para o pais.

    Responder
  94. 8 Marcia F da Silva 03/02/2011 16:54

    Obrigada Mantega, aja rápido tenho uma fábrica de malas e desde que entrou os produtos chineses (2002) diminui as vendas e mão de obra em 80%, hoje fabrico muito muito pouco porque os importados vencem em preços e o logistas compram porque sai muito mais barato, nos prejudicando muito, até penso em desistir este ano pois será o último que tento trabalhar para continuar com o meu sonho.

    Responder
  95. 7 Janos 03/02/2011 16:54

    Estou vendo, que logo-logo seremos TAXADOS para consumir mercadorias MAIS BARATOS, só porque tem nacional semelhante! Como de sempre, o consumidor terá que arcar com as mercadorias nacionais ABSURADAMENTE mais caras para sustentar as nossas fábricas.

    Responder
  96. 6 Jose 03/02/2011 16:53

    OOOOOOtimo!!!!
    Pois existem muitas Empresas que conheço, ex, produz maquinas operatrizes e a grande parte das maquinas a ser montada como máquinas inteiras (totalmente montadas), vem da industria chinesa so colocando o adesivo da
    Empresa.
    Isso precisa acabar pois estao acabando com empregos aqui no Brasil e aumentado no exterior. E uma vergonha!!!!

    Responder
  97. 5 Vlamir Sadagorski 03/02/2011 16:51

    Pertinente e justo!

    Responder
  98. 4 Ronaldo 03/02/2011 16:51

    Eu acho que em vez de o governo Brasileiro impor sanções contra a China, deveriam tomar vergonha na cara e diminuir a carga tributária sobre a industria nacioanal incentivar a produção pra podermos competir de igual p igual c outros paises pq o unico prejudicado é o consumidor que acaba pagando tudo mais caro! Alem disso se diminuir os impóstos ao mesmo tempo gera mais empregos!

    Responder
  99. 3 edy clodio petry jardim 03/02/2011 16:50

    O governo deixou passar uma grande oportunidade de desenvolver o Brasil.Não se importou com
    a industria.
    A taxa de juros mais alta do mundo acabou trazendo dolares para aplicação,o que provocou
    grande desvalorização e impediu as exportações de manufaturados.
    Para ter sobras para demagogia acabou não investindo em infraestrutura,dificultando mais ainda
    as exportações.Brasil é sinonimo de,demagogia,populismo,incompetencia,tudo conseguido
    nos ultimos oito anos.
    Se quiserem bancar os sabidos vão levar grosso. E agora estão correndo para Argentina,Bolivia,
    Paraguai e Venezuela etc. Vai ficar muito bom…America Latina é…

    Responder
  100. 2 ALVARO SOEIRO 03/02/2011 16:50

    Parabens ministro guido mantega, só assim iremos poder dizer qeu estamos comprando produtos genuinamente brasileiros e acabar com essa concorrencia desleal de produtos chineses. Essas medidas tem que ser estendidas a outros paises que estão no mesmo caminho da china, usando mão de obra escrava para poder ter preços melhores que qualquer pais do mundo.

    Responder
  101. 1 Rolando Buniy 03/02/2011 16:43

    Aumentar as barreiras para as exportações? Investir em educação é urgente.
    Falta planejamento nesse governo. Conhece a estória da galinha de ovos de ouro? Estão matando a galinha. – Mais de 40% só de impostos?!

    Responder
 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios