Como degustar uísques | Bebidinhas
iG

Publicidade

Publicidade
02/06/2009 - 05:09

Como degustar uísques

Compartilhe: Twitter

Em 1992, Jim Murray decidiu largar o jornalismo para escrever única e exclusivamente sobre uísque. Na época, não existiam revistas especializadas na bebida e pouco era o interesse no tema, mas aos poucos o inglês ganhou terreno e publica anualmente desde 2003 o “Whisky Bible”, a bíblia do uísque, um guia no qual avalia os lançamentos de destilarias de todo o mundo.

A Ballantine’s, que em 2008 ganhou o prêmio de melhor lançamento, trouxe Jim para o Brasil para fazer uma degustação em São Paulo e em Recife, a cidade brasileira onde mais se consome uísque. E claro que em nome de você, leitor, fiz o sacrifício de acompanhar a degustação. Rá!

Mas vamos às dicas de Jim para apreciar um bom uísque. Pra começar, o copo. “Sabe aquele copo de uísque de base reta? É ótimo para praticar tiro ao alvo”, disse o consultor. O ideal é uma taça com base, em forma de tulipa, para que os aromas se preservem. Aqui vai uma foto do copo ideal que tirei no dia da degustação. Prestem atenção no baldinho, em instantes explico o que ele está fazendo lá:

Gelo, como vocês deve imaginar, é um pecado aos olhos de Jim: “Uísque é uma bebida com 40% de álcool. Se você coloca água, vira uma água forte, não é uísque. Eu entendo que vocês brasileiros usem o gelo porque aqui é um país quente e é bom ter uma bebida refrescante, mas…”

Tacinhas ao invés de copos e a falta do gelo não são as únicas novidades na degustação, que pede também que você tenha em mãos uma cuspideira. Sim, é o baldinho, que estava cheio de areia. “Quantos de vocês cospem?” pergunta o malicioso Jim. “É necessário cuspir porque senão você fica bêbado e não consegue sentir os sabores e aromas da bebida”. Tudo preparado? Uísque servido nos copos? Vamos à degustação!

O primeiro passo é cheirar o líquido, encostando levemente o copo na boca sem que ele encoste no nariz, para que o ar se misture ao cheiro da bebida. O copo deve ser colocado debaixo de uma narina de cada vez. “Cheirar o uísque é como preliminares, tem que acontecer! É muito interessante observar se o que você esperava encontrar se confirma ao beber o uísque”, disse Jim.

Agora vou demonstrar toda a minha nerdice para explicar como segurar o copo para a segunda etapa: faça aquela mão de Spock (a do “Vida longa e próspera”, foto abaixo) e coloque o copo entre os dedos anelar e médio. Em seguida, tampe a boca do copo com a outra mão e encoste-o no corpo. A idéia aqui é deixar a bebida na temperatura do seu corpo, excitando as moléculas. Cheire de novo. Não parece que é outra bebida?

Finalmente um primeiro gole, mas que deve servir apenas para lavar a boca com a bebida., É beber e cuspir sem pensar para que no segundo gole você consiga sentir apenas o uísque. Na segunda vez você tem que segurar a bebida na boca com o queixo um pouco elevado para que você possa respirar pela boca e fazer com que o uísque passeie por todas as áreas. “É como se você fosse um peixe, passe vergonha sem medo”, instruiu Jim. E daí cuspa de novo.

Agora você pode refletir sobre as sensações que a bebida deixou. Indica Jim: “O segredo é pensar em coisas simples. Nada de ser enganado por essas histórias que se lê por aí de sentir o gosto de amoras peruanas colhidas ao cair da tarde. Procure perceber se o uísque é seco ou doce, se tem sabor defumado, se lembra frutas, se lembra sua infância. O interessante no uísque é que ele proporciona uma experiência totalmente pessoal.”

A complexidade da bebida é outro ponto a ser observado. “Um uísque interessante é complexo, começa de um jeito e termina de outro. Se ele é seco do começo ao fim, é sem graça, o segredo é justamente balancear sensações, sabores, ter ações e reações, é tornar a experiência única”.

Pronto! Seguindo esses passos você já pode iniciar suas explorações no mundo do uísque. E agora vou defender a degustação. Sim, é meio besta pensar em pagar uma grana no uísque (ou vinho, ou qualquer bebida que seja) e cuspir, mas a idéia aqui é aguçar o paladar pra você perceber realmente o que gosta, se uísques mais pesados, se mais leves, se mais doces, mais secos, se seu negócio é scotch, bourbon…

As opções são muitas e é bem legal essa experiência de parar para perceber o que realmente agrada seu paladar, conhecer novas marcas e seu próprio gosto. Por exemplo, depois da degustação fiquei morrendo de vontade de comprar uma garrafa de Jameson porque adorei o fato dele ser frutado, entre os scotch whiskys estou mais para os médios, como o Ballantine’s, ao invés dos mais leves, como o Red Label e que no final das contas, gosto mais de bourbon que de uísque. Agora, se vou trocar os copos e abrir mão do gelo, essa é uma outra história… :D

Autor: Capitu - Categoria(s): Eventos Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

7 comentários para “Como degustar uísques”

  1. carlos lopes disse:

    adoro as manifestações etílicas culturais

  2. Daniel disse:

    Concordo plenamente. Gosto muito de uísques (e agora aprendi a degustá-los), mas prefiro bourbon a scotch.

  3. Rogerio Vieira disse:

    Será que em um buffet chiquérrimo ou um restaurante de nível internacional, vai trazer um baldinho de areia pra se cuspir?
    E se não servir? Devemos pedir? Vão nos chamar e loucos, rsrs.
    Porém vou degustar em casa e ver a diferença

  4. solange disse:

    Não sou conhecedora de uísque apenas consumidora, gosto de beber uísque, gosto daquele copo de uísque. Ponto final.
    Mas achei o texto uma delícia. Legal.

  5. denise disse:

    Muito interessante os comentários a experiencias de JIM, vou tentar mudar o copo e saborear o primeiro gole depois do exercicio de aguçar a bebida…cuspir, nossa é foi bom saber.

  6. Hugo disse:

    Estou degustando um Red Label, buscando perceber bem as sensacoes. Muda a experiencia de beber, muito legais as dicas.
    Agora cuspir… hmmm, prefiro degustar exatamente como fizeram, e cuspir o whisky pra dentro! rs

  7. Calferr disse:

    Boas as dicas. Mas….é preciso entender que o cara é um expert. É bom saber como (deveria) funciona. Porém seria necessário anos de estudo (eheh) para se chegar neste nível. Sinceramente, adoro whiskies porque gosto do sabor, aroma e das sensações que proporciona.
    Como eu disse, é bom saber…mas ainda prefiro beber da forma que eu mais gosto “on the rocks” .

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo